Ele viu seu negócio virar pó, com ajuda do filho transformou negócio familiar em uma franquia multinacional

O empresário criou, perdeu, reinventou-se e, ainda hoje, investe em projetos que contrariam as expectativas de terceiros, mas que no fim das contas se mostram altamente lucrativos


Mais do que boas histórias de vida, o que faz alguém ser bem-sucedido ou não tem muito mais a ver com a personalidade e a maneira de ver a vida do que com o dinheiro. E tem mais.


“Não é o quanto você é um gênio ou as notas que tirou na escola ou faculdade.
Ser um empreendedor é estar conectado com tudo o que acontece ao seu redor, pesquisar e procurar por novidades no segmento em que atua, perseverar, lutar pelo negócio e, principalmente, ser humilde para reconhecer que toda empresa começa pequena”
,
Explica Claudinei dos Anjos, fundador da rede Anjos Colchões & Sofás, hoje com mais de 80 unidades franqueadas espalhadas pelo Brasil e Paraguai.


Para aqueles que querem abrir o próprio negócio ou até mesmo os que já estão no mercado a algum tempo, o conselho de Claudinei, transcrito acima, vem bem a calhar.


O executivo passou por todas as etapas (e frustrações) de um negócio: o descrédito de algumas pessoas, dificuldade nas primeiras negociações, incluindo permutas bem exóticas, venda de bens materiais para abrir seu empreendimento e a consequente falta desses itens.


Não foi fácil mas, aos poucos, insistindo e mantendo-se firme diante de todas as adversidades, o empreendedor prosperou e hoje é diretor, presidente e CEO da Anjos Colchões & Sofás, presente no Brasil e exterior.


Erguido em Capitão Leônidas Marques, interior do Paraná, o embrião da empresa surgiu após uma reunião na Câmara dos Vereadores de Curitiba, em 1989, durante um evento em que os presentes foram confrontados com a seguinte pergunta: por que não estimular a economia local ao invés de procurar a indústria em outras cidades ou estados?


Por que não incentivar o agricultor, o pecuarista ou o advogado da sua pequena cidade?


O questionamento surtiu efeito e a força motriz impulsionou o jovem pai de família a pleitear da prefeitura um barracão, no tamanho de 250m² para, neste espaço, começar a história do que vinha a ser uma das maiores redes de franquias de colchões e estofados da América Latina.


Antes disso, no entanto, em 1999, uma solda caiu em cima de uma material plástico e um incêndio de grandes proporções destruiu a fábrica da Anjos Colchões, como era o nome da empresa àquela altura.


Diante das cinzas, restou um impasse: persevera ou desiste? A resposta foi instantânea.


Claudinei propôs, então, uma concordata branca com todos os fornecedores: renegociou as dívidas, comprou mais matéria-prima, entregou os pedidos e, no prazo de dois anos, conseguiu equilibrar as contas.


Franquia multinacional Anjos Colchões tem 80 lojas, com três unidades no Paraguai, e o segredo deve-se ao perfil do dono, que acreditou em sua capacidade de negociar e fabricar, em ouvir feedbacks e não se entregar às dificuldades.


“Quem tem mais vontade de progredir é que irá crescer. Inteligência Deus dá para todos nós, mas a vontade e a garra de fazer, não, e muitos irão desistir nos primeiros obstáculos. O sucesso, que poderia estar tão pertinho, perdeu-se por tão pouco”,
lembra Claudinei.


A reviravolta em família


Sua experiência de vida mostra o quão certo o empresário estava.


Desacreditado por alguns ao ver sua fábrica em ruínas, não desistiu e conseguiu alavancar o negócio aos trilhos do sucesso novamente.


E foi quando a empresa começou a crescer, veio a ideia de expandir sua atuação, mostrando mais um intuito certeiro de Claudinei.


A fábrica de móveis fundada em 1990, então, cresceu, ampliou o mix de produtos e hoje tem como carro chefe a produção de colchões.


Em 2007, foi criada a Anjos Colchões Franchising, projeto que deu início a rede de franquias da marca e que hoje tem como diretor o filho do fundador, Leonardo dos Anjos, que desde os 16 anos de idade vinha acompanhando todas as etapas e processos da empresa.


O executivo assumiu a diretoria de franquias com a missão de acelerar o processo de expansão da marca.


Sob a direção de Leonardo, a franquia conquistou parceiros em diversas regiões, principalmente no Paraná, onde teve a missão de buscar parceiros para transformar algumas unidades próprias da rede em franquias.


O resultado foi além do esperado e, hoje, a Anjos Colchões & Sofás conta com 80 unidades em operação, em sua grande maioria franqueadas, além de três complexos fabris em São Roque, interior de São Paulo, João Pessoa, na Paraíba, e o principal, em Capitão Leônidas Marques, no Paraná.


No total, estima-se que toda a rede, contando franqueados e franqueadora, gere mais de 500 empregos diretos, além de outros 1800 indiretos fora da empresa.


“Como diretor de franquias, pude ajudar a marca a expandir inicialmente para Foz do Iguaçu, Toledo, Curitiba e Porto Alegre, cidades onde conquistamos parceiros competitivos. Minha contribuição consistia em encontrar bons gerentes, gestores e colaboradores que atendessem a nossa exigente clientela”,
explica Leonardo dos Anjos, diretor de franquias da Anjos Colchões & Sofás.


Aos interessados, o investimento inicial é a partir de R$ 189 mil, já incluso a taxa de franquia, com payback de 16 a 20 meses.


A margem de lucro gira em torno de 12% a 20% do faturamento, o que significa uma média de R$ 80 mil por mês.


Embora a área mínima do empreendimento seja grande, acima de 90m², é preciso apenas dois funcionários, podendo ser o franqueado mais um funcionário, o que torna o negócio ainda mais atrativo.


Para saber mais sobre a franquia multinacional Anjos Colchões, CLIQUE AQUI.


Fonte: Portal do Franchising