07 de Abril – Dia Mundial da Saúde

Hoje é o dia Mundial da Saúde e, neste momento que estamos vivendo, esse assunto está ainda mais em evidência. Mas você sabia que a qualidade do seu sono, o fato de dormir bem, tem grandes reflexos na sua saúde, na sua imunidade?

Todos nós sentimos a necessidade de descansar. Afinal, o corpo o humano, apesar de toda a sua complexidade, não é uma máquina e precisa repor suas energias pela alimentação e pelo sono. Mas, será que o sono só serve para nos fazer relaxar?

Sempre ouvimos que o ideal é dormir oito horas por dia e isso não é exagero. Durante o sono, além de descansar, o nosso corpo trabalha para manter o equilíbrio do sistema imunológico, endócrino, neurológico e de diversas outras funções. Por isso, o sono é tão importante para nossa saúde.

Um dos principais responsáveis pela qualidade do sono, é o colchão. Acordar com dores no corpo e sensação de cansaço pode ser um sinal de que chegou a hora de trocá-lo. O colchão deve ser escolhido seguindo indicações técnicas, como o peso e tamanho da pessoa que irá se acomodar. Para os casais é preciso levar em consideração o peso e a altura da pessoa mais pesada.

A durabilidade é outro fator que varia muito de um modelo para o outro, sendo em média, quatro anos para os de espuma e seis a oito para os de molas. Ao término desse prazo, o colchão deixa de sustentar a coluna corretamente, colocando o corpo em posição prejudicial à natural do sono.

Na tabela abaixo é possível ver as especificações para o biotipo de cada um, evitando os riscos de complicações futuras.


Benefícios de uma noite de sono

Obesidade: Durante o sono, o corpo produz o hormônio leptina, responsável pela sensação de saciedade. Pessoas com apneia do sono e insônia podem sentir mais vontade de comer pela carência dessa substância. Além disso, nosso corpo queima calorias durante as horas de sono, sendo que dormir menos de oito horas pode reduzir em até 55% esse consumo.

Diabetes: Dormir mal aumenta a resistência do corpo à insulina, complicando ainda mais o controle da doença. De acordo com pesquisadores da Northwestern University, dos Estados Unidos, 82% dos pacientes diabéticos que apresentam dificuldades para dormir e que tiveram seu sono monitorado apresentaram resistência à insulina.

Hipertensão: o cansaço provocado por diversas noites mal dormidas causa estresse e aumenta a pressão sanguínea, causando hipertensão no médio prazo. Segundo estudo da Universidade de Montreal, no Canadá, a hipertensão desencadeada por insônia afeta até mesmo os pacientes sem predisposição à doença.

Memória: pessoas que dormem bem absorvem melhor as informações que recebem durante o dia. De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade de Lubeck, na Alemanha, durante as horas de sono ocorre a produção de proteínas responsáveis pelas conexões neurais, fundamentais para o aprendizado e a memória.

Depressão: Pessoas que dormem menos de seis horas por dia têm mais chances de desenvolver depressão, é o que afirma o estudo realizado pelo Cleveland Clinic Sleep Disorders Center, nos Estados Unidos, que constatou que quem dorme de seis a nove horas tem mais ânimo e qualidade de vida.

Agora que você já conhece alguns dos benefícios que uma boa noite de sono pode proporcionar, não tente mais lutar contra o cansaço. Caso sinta alguma dificuldade para adormecer, procure um médico, pois dormir bem é essencial para a sua saúde.

Fonte dos dados científicos:

MINHA VIDA. Insônia pode desencadear problemas cardíacos graves. Disponível em: Minha Vida